Warning: Use of undefined constant STARGATE - assumed 'STARGATE' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/landin1/public_html/includes/functions_content.php on line 1369
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/session.php on line 1042: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/session.php on line 1042: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/session.php on line 1042: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 483: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 379: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/bbcode.php on line 112: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/functions.php on line 4821: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/functions.php on line 4823: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/functions.php on line 4824: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
[phpBB Debug] PHP Warning: in file [ROOT]/includes/functions.php on line 4825: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at [ROOT]/includes/functions_content.php:1369)
RcmPortugal.com • Ver Tópico - Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Nelsongas » 03 abr 2010, 20:06

Boas a todos

Geralmente quando se explica como funciona a modalidade “200m” a primeira reacção costuma ser:

“Descer 200m em 10 minutos? Tão pouco tempo? Isso é “bué” fácil! Eu a 200m aguento 1 hora!!”

Bem… de facto NÃO é “bué” fácil. Posso dizer que em ar neutro, ou seja sem térmicas, o tempo de planeio poderá andar em mais ou menos três a quatro minutos… ou até com “muita” sorte se apanhar descendentes esse tempo poderá reduzir.
Isto estando a falar de um modelo bonzinho, térmico, etc… porque se não for um planador... nem sei..

Bem, mas para aqueles que já descobriram este desafio, que é encontrar as correntes ascendentes, deixo aqui alguma informação que julgo interessante. São alguns sites com informação, do que são as térmicas, como encontrar, como procurar, etc.

Informação importante para quem anda neste vicio que é os 200m:

http://f4bscale.worldonline.co.uk/Thermals.htm

http://www.quicktechhobby.com/articles/ ... rt%201.htm

http://www.quicktechhobby.com/articles/ ... rt%202.htm

Video interessante a falar de actividade térmica:




Para os que ainda pensam que é fácil… deixo aqui um vídeozinho para inspiração:



Bons voos, com "bué" e boas térmicas... :mrgreen:

Nelsongas
Avatar do Utilizador
Nelsongas
Participante frequente
 
Mensagens: 446
Registado: 25 dez 2008, 13:06

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Nelsongas » 12 abr 2010, 01:28



Caçar Térmicas. É tranquilo. Relaxante. É um desafio único nas suas habilidades de pilotagem. É o desafio de voar usando apenas as forças invisíveis da natureza. É voar com o vento, encontrando e usando correntes de ar ascendentes para permanecer no ar, e evitando descendentes. É preciso ter paciência, habilidade e um planador bem concebido.

Passo 1 - Afine o seu planador para que voe de modo estável e a direito sem, ter de mexer nos comandos. Quando estiver a “caçar” térmicas, deixe o planador reagir e voar “sozinho”. Desta forma consegue ver melhor como o planador reage às correntes de ar na sua proximidade.
Passo 2 - Quando estiver a “caçar” térmicas, tente voar sempre em zonas de ar novo e inexplorado. Lembre-se que o ar está em constante movimento e na direcção do vento. Sempre que fizer uma volta, faça contra o vento – para barlavento. Lembre-se que quanto mais espaço conseguir cobrir, mais provável é que encontre uma térmica. A menos que encontre uma térmica, fazer voltas a favor do vento e/ou voar sempre no mesmo ar é improdutivo e só faz com que perca altitude.
Passo 3 - Lembre-se que as térmicas deslizam com o vento, de barlavento para sotavento. Se pretende ficar numa térmica para ganhar altitude, necessitará de voar em círculos na direcção do vento e dentro da zona ascendente da térmica. Muitos iniciados têm dificuldade em permanecer numa térmica, pois estas movem-se constantemente com o vento. Para permanecer na térmica basta manter um ângulo de pranchamento no planador numa curva constante deixando que seu planador vá com o vento.
Passo 4 - Quando estiver numa térmica, observe cuidadosamente o planador em todo o círculo. Observe em que zonas do círculo o planador está a subir ou a descer. Feche o círculo na direcção da ascendente (longe da descendente) em voltas sucessivas. Isso dará um ganho máximo de altitude e ajudá-lo-á a centrar-se na térmica.
Passo 5 - Se perder a térmica, abra o círculo e sonde o ar em torno de onde pensa que ela poderá estar. Provavelmente a térmica ainda lá está, e o planador só voou para fora dela. É habitual que a térmica esteja a sotavento da posição inicial.
Passo 6 - Ao sair contra o vento para fora de uma térmica a fim de encontrar a próxima, lembre-se que normalmente a barlavento da térmica existem descendentes! É necessário voar através destas muito rapidamente, ou então pode voar para o lado, e em seguida, voar contra o vento para evitar perder excessivamente altitude. Para voltar para barlavento sem perder muita altitude pode ser necessário voar inicialmente para sotavento.
Passo 7 - A actividade térmica varia muito de dia para dia e mesmo durante o dia. Para aprender, escolha um dia calmo e soalheiro. A melhor altura é o meio-dia, pois as térmicas são mais fortes e mais frequentes quando o Sol está mais a pique. E não se pode esquecer que para um iniciado, as térmicas são mais fáceis de “caçar” quando há muitas!
Passo 8 - Geralmente, mas nem sempre, as térmicas aumentam de diâmetro em altitude. Saber isso pode ser útil. Se estiver a “caçar” térmicas a baixa altitude, provavelmente precisará de fazer voltas mais apertadas para ficar na zona ascendente. Quando tiver ganho alguma altitude pode abrir os círculos e ser mais eficiente.
Passo 9 - Muitas vezes encontramo-nos numa térmica fraca e a baixa altitude, e na luta para permanecer no ar somos tentados a procurar melhor ar e a sair da térmica fraca onde estamos. Mas se o fizer, 9 em cada 10 vezes vai estar a aterrar dentro de pouco tempo. As descendentes envolvem as térmicas, e deixar uma térmica, mesmo que seja fraca, tem o seu preço. Vale mais ficar com a térmica que se tem, mesmo que fraca, na esperança que esta fique mais forte, o que acontece frequentemente.
Passo 10 - Se é novato na “caça” às térmicas, pode-lhe parecer impossível que encontre uma térmica tão forte que possa levar o seu planador tão alto até o perder de vista. Mas isso acontece! Normalmente, o piloto fica tão entusiasmado com uma ascendente forte que deixa de prestar atenção à altitude a que está. Quando se apercebe, já deixou de ver o seu modelo! Não entre em pânico. Chame por todos os que estão no campo consigo, e peça para olharem para o céu e coloque suavemente o leme de profundidade na posição de máxima subida ao mesmo tempo que leva o leme de direcção totalmente para a direita ou esquerda. Isso vai colocar o planador numa espiral de descida suave. O movimento de rotação fará com que o planador seja mais fácil de detectar quando o sol se reflecte na superfície das asas.

Avatar do Utilizador
Nelsongas
Participante frequente
 
Mensagens: 446
Registado: 25 dez 2008, 13:06

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Carlos Bastos » 15 abr 2010, 09:38

:) :) Está muito bom este “post” sobre térmicas colocado pelo Nelsongas, com o mérito ainda de ter feito uma tradução e publicado a origem. De certeza que aprendemos algo sobre as térmicas, ainda que existam nos textos alguns enganos que entendo dever glosar.
Deixei passar algum tempo, à espera que um dos nossos grandes e experientes desportistas dos planadores rádio controlados fizessem um contraditório mas eles devem andar demasiado ocupados para isso ou acham melhor não o fazer.
Comecemos pelas colunas. Não há térmicas em colunas :o . As “térmicas” sob a forma de colunas só existem em alguns livros (poucos e antigos) e nalgumas cabecinhas. Colunas de ar e/ou gases a subir só o fumo das chaminés e dos vulcões. Numa hipótese puramente académica de se desenvolver uma coluna de ar ascendente linear, a fricção com a atmosfera envolvente conduziria a uma produção de turbulência tal que seria impossível um modelo voar dentro dela. Andava aos tombos! As térmicas são bolhas de ar, numa sequência discreta, e que, no caso de uma elevada frequência, pode parecer uma coluna. Mas não o é.
E o “downward core” que faz com que os modelos se espatifem em “Spiral Dive”. Pura anedota! :lol: :lol: Não há nenhuma descendente no interior da coluna, ou das térmicas, e os modelos, em especial de voo livre, entram em “Spiral Dive”, SD, por duas razões: quando o dimensionamento do diedro da asa é pequeno comparado com a área da deriva e quando a turbulência de uma térmica dispara o modo SD, que é um modo degenerado de voo, aplicando subitamente uma atitude de pranchamento que tem como consequência o modelo ou avião passar a descrever uma espiral centrípeta que acaba numa trajectória em hélice contra o solo. Um dia vou pôr aqui um “posts” sobre a SD.
E a rotação das térmicas? O efeito de Coriolis só se faz sentir em grandes massas de ar ou de outro fluído. Nas térmicas, tal como a água que escorre nas bacias, não se faz sentir aquele efeito. Em tempos, eu e outros Aeromodelistas dedicámo-nos a observar o voo das gaivotas, em térmica. Entende-se que, se as térmicas rodarem, os pássaros andarão contra o fluxo de ar, para terem menor velocidade, portanto menor energia cinética e, assim, mais facilmente serem “conduzidos” pela térmica. Verificamos que as aves voam indistintamente em qualquer sentido de rotação. Olhem para as cegonhas em Pinhal Novo. Como todos sabemos, o efeito de Coriolis faz-se sentir nas baixas pressões que chegam aqui ao nosso pais e que rodam sempre no sentido dos ponteiros do relógio, ao contrário das altas.
E, já agora, as bolhas térmicas aumentam sempre de volume, à medida que sobem. O ar é relativamente “racista”. O ar quente não gosta de se misturar com o ar frio. É o que se chama, em termodinâmica, uma transformação adiabática. Logo, como a temperatura da atmosfera normal desce à medida que subimos, e não há, praticamente, trocas de calor, a bolha vai aumentando à medida que sobe. Por isso os Aeromodelistas de Voo Livre, em F1C, que os modelos atingem uma altitude entre 100 e 150m, dizem sempre que quanto mais alto melhor porque é maior a probabilidade de apanhar uma térmica.
E, afinal, qual é a anatomia de uma térmica? Quando uma bolha de ar quente se desprende do solo a sua forma é um batatóide pseudo-esférico. À medida que sobe, tem de enfrentar a fricção ou atrito com o ar envolvente. Então a velocidade da sua camada exterior é abrandada, desenvolvendo-se, periféricamente, uma cortina de ar para baixo. É para baixo quando vista por um observador que vai a subir com a térmica.
Para compensar o ar que desce, forma-se uma corrente de ar que sobe, na zona central, e a térmica redunda numa forma toroidal, parecida com um “donut” ou uma câmara de ar. Na base, o ar movimenta-se de fora para o centro e, na parte superior, vai do centro para a periferia. A velocidade vertical do ar na periferia é sempre ligeiramente inferior, em módulo, à velocidade de subida da massa térmica. Continuamos com o observador dentro da térmica. A velocidade de subida, na zona central, é muito superior à velocidade da térmica. Isto porque a secção do “canudo” central é muito inferior à secção da “coroa circular” que é a zona periférica.
Só assim se explica que um modelo se aguente quase indefinidamente numa térmica. Se a térmica fosse uma bola de ar inerte, o modelo entrava, voava umas dezenas de segundos e saía, pois os planadores descem sempre. O que sucede é que, quando a térmica captura um modelo, sim, captura, conduz o aparelho para o seu centro e, se tudo correr bem, o modelo instala-se no tal “canudo” em voltas muito mais apertadas do que a afinação ou o comando direccional apelam. Vê-se nitidamente nos modelos de Voo Livre.
Por outro lado, o voo dentro de uma térmica, na zona atrás referida, constitui um voo com regulação automática de altitude. Se o modelo subir para a parte superior do canudo, a componente vertical do fluxo de ar é menor e o modelo cai. Se vier para a zona central do canudo a componente vertical é maior e o modelo sobe. Isto constitui um mecanismo de regulação de altitude dentro da térmica. E, assim, os modelos aguentam-se durante um tempo quase indefinido.
São assim as térmicas, sem qualquer magia, tanto quanto são conhecidas. Os mecanismos de captura e voo dentro delas talvez não estejam ainda bem demonstrados. Mas são verificados. A pesquisa, detecção e aproveitamento ainda falham, mesmo nos Aeromodelistas muito experientes. E, por outro lado, quem pouco percebe do assunto também apanha uma ou outra térmica e… julga-se o maior…
Já escrevi demais… Fica aqui um desafio:
Se o modelo deve voar a direito, como é que ele reage quando encontra uma térmica? :roll: :?:
CB
Avatar do Utilizador
Carlos Bastos
Participante regular
 
Mensagens: 112
Registado: 19 jan 2009, 10:32

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Carlos Bastos » 20 abr 2010, 09:16

;) :? Tenho que pedir desculpa por um erro que coloquei no texto anterior. Efectivamente, no hemisfero Norte, as depressões rodam no sentido contrário aos ponteiros do relógio, sempre, devido ao efeito ou força de Coriolis. Fugiu a caneta... :) :) :roll:
CB
Avatar do Utilizador
Carlos Bastos
Participante regular
 
Mensagens: 112
Registado: 19 jan 2009, 10:32

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Nelsongas » 21 abr 2010, 23:11

Avatar do Utilizador
Nelsongas
Participante frequente
 
Mensagens: 446
Registado: 25 dez 2008, 13:06

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Nelsongas » 21 abr 2010, 23:24

Olá a todos

Deixo aqui mais um video onde explica com gráficos, a formação das térmicas em bolhas, colunas etc.



Abraço

Nelsongas
Avatar do Utilizador
Nelsongas
Participante frequente
 
Mensagens: 446
Registado: 25 dez 2008, 13:06

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor ztxnew » 22 abr 2010, 01:03

Este filme para além de bastante esclarecedor, ajuda a perceber uma serie de fenómenos que ocorrem durante o voo e para os quais costumamos atribuir explicações relacionadas com a afinação do modelo que voamos.
Com a alteração das condições atmosféricas para um mesmo local, é fácil pensarmos que qualquer coisa de estranho ocorreu ao nosso modelo, que ainda no dia anterior estava "afinadinho", para depois voar de uma forma completamente diferente.
Obrigado Nelson pela partilha deste filme esclarecedor.
Abraço,
Avatar do Utilizador
ztxnew
Membro do Staff
 
Mensagens: 722
Registado: 25 dez 2008, 19:12

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor Carlos Bastos » 07 mai 2010, 09:53

O modo como um planador ou qualquer outro modelo de asa fixa reage quando encontra uma bolha térmica depende fundamentalmente do tipo de afinação de voo que o modelo leva.
Quando o modelo encontra a térmica a ângulo de ataque da asa aumenta devido à componente ascendente de ar
que caracteriza a bolha térmica (vamos desprezar o "upwash"). À medida que o modelo vai progredindo para o
interior da bolha, maior é o ângulo de ataque do ar, resultante vectorial da velocidade linear do modelo,
horizontal, com a componente vertical do ar dentro da térmica.
Se o modelo vai com uma afinação de baixo coeficiente de sustentação,Cl, como sucede num regime de
relativa alta velocidade para percorrer o maior espaço possível no mónimo de tempo, à procura de térmicas,
o aumento do ângulo de ataque provoca um aumento de sustentação. Se o modelo vai num regime de mínima
velocidade de descida, no máximo de Cl^3/Cd^2, o Cl é muito grande, próximo do ângulo de perda, e o
aumento do ângulo de ataque conduz mesmo à perda, resultando numa redução drástica da sustentação.
Ora aqui está! Como o modelo nunca aborda a bolha completamente de frente, na direcção do seu eixo
vertical, há sempre uma assimetria na distribuição do aumento ou redução da sustentação ao longo da
envergadura. Se a bolha estiver mais para bombordo e o modelo fôr em regime de velocidade, a asa esquerda
recebe mais sustentação do que a direita e o modelo é repelido para fora da bolha. Se, pelo contrário, o
modelo fôr em regime de baixa velocidade e alto Cl, a asa esquerda entra em perda, reduz a sustentação em
relação à asa direita, e o modelo "cai" para dentro da térmica.
E é isto, simples, ou melhor, duma maneira simplista, pois existem outros factores, de ordem dinâmica,
cuja análise é relativamente complexa.
Em Voo Livre os modelos só podem ter uma afinação para o regime de planeio. Segundo J. C. Rodrigues, autor
do único livro de Aeromodelismo escrito em Portugal, essa afinação é, cito, "nas barbas da perda".
Pretende dizer aquele autor que a afinação deve ser feita para um voo com um Cl muito próximo do máximo,
que é o mesmo que dizer próximo do ângulo de perda. Assim, os modelos de VL são simplesmente "atirados"
para dentro da bolha quando passam secantemente nela.
E o que sucede na hipótese, de baixa probabilidade, de o modelo entrar de frente na bolha, havendo
perfeita simetria na distribuição do aumento ou redução da sustentação ao longo da envergadura? Em regime
de Cl baixo ou alta velocidade o modelo cabra e inicia uma fugóide. Em regime de alto Cl, ou baixa
velocidade o modelo cabra e faz uma perda. Nos dois casos está dentro dela!
Simples mas...não é assim tão simples encaixar o modelo dentro da bolha.
Mas vale a pena. Experimentem!
CB
Avatar do Utilizador
Carlos Bastos
Participante regular
 
Mensagens: 112
Registado: 19 jan 2009, 10:32

Re: Fórmula "200m" - A “Magia” de apanhar térmicas

Mensagempor porto007 » 20 ago 2011, 21:35

Boa tarde a todos,

excelente Thread !

Obrigado pela Infos .


Bem Haja

porto
Avatar do Utilizador
porto007
Membro com baixo nível de participação
 
Mensagens: 27
Registado: 10 jul 2011, 19:21


Voltar para Dúvidas e questões - Planadores

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron